top of page

Diversificação de carteira: o que é e como fazer?

Atualizado: 11 de jan.


Construa uma carteira segura 

O ditado ‘’não coloque todos os seus ovos em uma única cesta’’ já é um velho conhecido de quem investe. Você precisa fazer uma diversificação de investimentos para proteger o seu patrimônio. 


Imagine um cenário onde você colocou todo o seu dinheiro em um único produto ou empresa. Nos primeiros meses a sua rentabilidade apresenta resultados extraordinários, mas depois de um tempo a empresa passa por um momento de dificuldade financeira e o seu investimento para de render tanto quanto deveria. O que você faz?


Por isso, a combinação inteligente de ativos em sua carteira auxilia você a reduzir os riscos e, ao mesmo tempo, aumenta a sua chance de rentabilidade. 


A diversificação de carteira também te permite conhecer outros produtos, você pode aliar a segurança dos investimentos em renda fixa com opções mais ‘'ousadas’’ da renda variável e potencializar os seus ganhos.  


Para entender melhor o que é diversificação e como você pode melhorar o seu desempenho financeiro, continue a leitura e descubra o segredo dos grandes investidores. 


Então vamos lá?


O que é diversificação de investimentos? 

Diversificar é apresentar variedades, tornar-se ou ficar diverso. No mundo dos investimentos, diversificar significa distribuir o seu patrimônio em diferentes produtos financeiros.  


Quando você decide diversificar os seus investimentos, é sempre importante equilibrar o tipo de produto. Afinal, de nada adianta criar diversidade e ter apenas produtos de alto risco, você precisa ter um investimento de baixo risco para garantir o seu capital.  


A diversificação precisa ser uma estratégia bem elaborada para aumentar o seu potencial de crescimento, você precisa saber gerenciar os riscos e controlar os seus produtos de forma inteligente.


Qual a importância da diversificação?  

Se você quer conquistar a verdadeira liberdade de ter o seu dinheiro trabalhando por você, a diversificação é fundamental para você. De nada adianta investir 100% do seu capital em produtos seguros, mas que possuem baixa rentabilidade, como a poupança ou alguns produtos da renda fixa.  


Vale lembrar que o uso da poupança ou da renda fixa está liberado, principalmente, se você não possuir uma reserva de emergência, tá bom? 


Mas, se você está aqui em busca de uma diversificação de carteira, vamos assumir que você já possui uma reserva de emergência e agora precisa só de técnicas para aumentar o seu patrimônio. 


E a lógica da diversificação é uma só: você coloca um pouquinho de dinheiro em cada produto de diferentes setores e se um vai mal, o outro pode ir bem, assim você vai compensando as perdas e gerando uma margem de lucro.  


Ou seja, a sua carteira terá lucro mesmo se um produto não performar tão bem em algum momento. E se todos forem bem, você fez o seu patrimônio crescer ainda mais. 

Aqui está o segredo do sucesso para investir!


Vantagens de diversificar os investimentos 

Você já deve ter percebido que ao diversificar você terá diversas vantagens né?! Mas, para fixar ainda mais a ideia, vamos listar aqui as 4 principais vantagens da diversificação dos investimentos.  


Minimização de Riscos 

Uma das vantagens mais evidentes é a capacidade de controlar melhor os riscos por meio da diversificação de investimentos. 


Nem 8, nem 80. Você pode dividir o seu dinheiro em produtos rentáveis e mais seguros, como o Tesouro Selic e CDBs, enquanto a outra parte pode ser distribuída em ativos de renda variável, como ações, fundos de investimentos ou fundos imobiliários. Dessa forma, é possível gerenciar os riscos sem comprometer os retornos, evitando a estagnação associada aos produtos de renda fixa de menor rentabilidade. 


Aumento de Ganhos 

Da mesma forma, a diversificação possibilita ampliar os ganhos nos investimentos. Isso ocorre porque, mais uma vez, é possível investir em produtos mais lucrativos, garantindo ou compensando os riscos ao manter a maior parte do capital em produtos seguros. 


Equilíbrio 

É claro que você pode arriscar o seu capital como se não houvesse amanhã, colocando tudo em um investimento arriscado. Mas aí pode acontecer de não existir um amanhã mesmo. E aí, chorar pelo leite derramado não resolve o seu problema. 

Para construir um patrimônio sólido e duradouro, o equilíbrio é fundamental. E esse equilíbrio é alcançado por meio da diversificação de investimentos. 


Opções de Liquidez 

Outra vantagem significativa é a capacidade de contar com produtos de liquidez variada. É possível investir parte do capital em produtos de longo prazo e outra parte em ativos com liquidez diária, por exemplo. 


Dessa maneira, é possível atender a diversas metas e necessidades de curto, médio e longo prazo, sem correr o risco de perdas financeiras. Vale ressaltar que, embora haja a possibilidade de desconto e prejuízo ao resgatar antecipadamente um título de 5 anos, por exemplo, essa situação não é garantida para todos os ativos de renda fixa.


Por que a diversificação reduz os riscos? 

Quer ver com um exemplo prático como o controle de riscos e a diversificação é fundamental? Acompanhe a história de José e Marcelo: 


José é um pedreiro que se dedica exclusivamente aos serviços de construção de casas.

Ele atende diversos clientes na sua cidade e não vê a necessidade de expandir suas atividades. 


Em um determinado momento, Marcelo, um morador local, perde o emprego e decide começar a oferecer serviços de construção. Além das pequenas reformas e construção de casas, Marcelo inclui serviços de marcenaria e design de interiores para os seus clientes.


Com essa facilidade, Marcelo passa a conquistar mais clientes do que José, afinal, ele oferece a conveniência de lidar com uma única pessoa para todas as necessidades de construção. 


José, que sempre se dedicou a trabalhos específicos na construção civil, percebe a importância de ampliar seus serviços para não perder seus clientes. Então, ele diversifica seu leque de habilidades e começa a oferecer serviços mais abrangentes, como serviços elétricos, serviços de serralheria e até mesmo serviços de paisagismo.


Com essa mudança, José deixa de focar apenas em trabalhos específicos e passa a atender a uma gama mais ampla de necessidades, incluindo projetos pontuais de pessoas que buscam, por exemplo, construir uma área de lazer em casa.


Dessa forma, José entende que a diversificação é essencial para reduzir os riscos associados à sua atividade. A concorrência pode surgir a qualquer momento, e ao oferecer uma gama mais ampla de serviços, ele está mais bem preparado para enfrentar desafios e atender às variadas demandas de seus clientes. 


Com os investimentos, acontece a mesma coisa. Se você focar em um único setor ou em um único produto, qualquer variação ou fator externo pode desestruturar, ou até mesmo destruir, o seu patrimônio. 


A diversificação é um meio termo necessário para controlar o risco ao mesmo tempo que possibilita uma boa rentabilidade.


Como diversificar sua carteira de investimentos com o mercado imobiliário?

Se você está em busca de diversificação de carteira com segurança e boa rentabilidade, o mercado imobiliário é ideal para você. Esse é um mercado que sofre pouca variação e apresenta um crescimento constante nos últimos anos. 


Mas, se você ainda não conhece o mercado e quer aprender a escolher o melhor tipo de investimento, nós iremos te ajudar. 


A primeira coisa que você precisa fazer é avaliar alguns pontos:


  • O percentual de lucro, que geralmente contabiliza-se o percentual anual. Então, quantos por cento de lucro você terá ao investir  

  • A dependência de terceiros, ou seja, a quantidade de empresas ou pessoas que participam de todo processo. Você irá depender muito ou pouco dessas pessoas?

  • Conhecimento de mercado, você precisará se aprofundar em assuntos de zoneamento, depreciação, valorização da região, demanda do bairro ou cidade onde o imóvel está localizado. Esse é o requisito mais complexo quando falamos sobre investir no mercado imobiliário.

  • E por último, mas não menos importante, o risco. Quanto você vai proteger o seu capital? Você precisa estar atento para não perder dinheiro e se frustrar nos investimentos.

Agora que você já sabe o que precisa avaliar para começar um investimento no mercado imobiliário, nós iremos te apresentar 8 produtos para você investir no mercado.


8 tipos de investimentos no mercado imobiliário para você fazer sua diversificação

Aqui estão 8 tipos de investimento que você pode fazer no mercado imobiliário. E aqui você encontrará uma avaliação de cada ponto citado anteriormente. Assim você conseguirá avaliar qual investimento faz mais sentido pra você hoje.


1 — Comprar imóveis para locação

• Rentabilidade: MÉDIA — em torno de 0.7% de lucro ao mês. É importante ter em mente, que apesar do imóvel ser um patrimônio pra vida, muitas pessoas através da locação demoram em torno de 18 anos para recuperar o capital que foi engessado. Além disso, essa modalidade não é livre de IR e por isso o seu lucro pode ser ainda menor. 

Dependência de Terceiros: MÉDIO — Você não precisa de tantos prestadores de serviço a não ser corretores ou imobiliárias. Se o imóvel precisar de reformas e reparos, conte também com pedreiros, pintores e outros serviços.

Conhecimento de mercado: ALTO — Se você está comprando para gerar uma renda extra, você precisa conhecer a região, a demanda do bairro, os valores de aluguéis já praticados e entender qual é a oferta e procura. É importante também verificar o imóvel internamente em todos os aspectos para entender possíveis manutenções e melhorias. 

Nesses casos o mais indicado é procurar pela ajuda de um especialista, ele irá te ajudar nesse passo a passo e fará todas as pesquisas necessárias.

Risco: BAIXO — você comprou e o imóvel já é seu. Talvez um dos empecilhos encontrados seja encontrar um inquilino e ter muita oferta disponível no empreendimento e região, porém, com um bom corretor, uma boa localização e um bom imóvel você terá sucesso mais rápido.


2 — Comprar imóveis em leilão:

Rentabilidade: MÉDIA — há casos em que se ganha muito e há casos em que o lucro é mínimo, principalmente porque na maioria das vezes não se tem acesso ao imóvel, e pode ir muito dinheiro para deixar o mesmo em condições de uso.

Dependência de Terceiros: ALTA — você pode depender de várias pessoas, desde o leiloeiro e até mesmo o possível comprador do seu imóvel. Isso sem contarmos prestadores de serviços para as reformas, documentações e etc. Dependendo do caso, a intervenção de um advogado é de extrema importância. 

Conhecimento de mercado: ALTÍSSIMO — você precisa saber de toda parte burocrática que envolve um leilão, documentações, processos. Fora isso, você também precisa conhecer bem o mercado de leilões para saber qual tipo de imóvel você está adquirindo e pesquisar sobre o leiloeiro. 

Risco: BAIXO — mas dependendo da situação pode dar dor de cabeça. É comum em leilões, não haver acordo entre as partes envolvidas na contratação. Existem casos de pessoas que arremataram o imóvel e se depararam com o antigo dono no local. Mesmo que você tenha direito sobre o imóvel, o ocupante pode entrar na justiça e demorar anos para sair da propriedade. Porém, dá para precaver. 


3 — Comprar imóveis na planta e revender

Rentabilidade: BAIXA — Sabe por quê? Porque a construtora vende o apartamento já pelo preço de mercado, mesmo você pagando a vista, e na hora da revenda você vai precisar colocar a preço de mercado também, ou seja, você precisa torcer por uma valorização significativa da região para ter lucro no seu m². Eu só compro imóveis se verdadeiramente eu tenho um lucro na compra, comprando abaixo do mercado atual.

Dependência de Terceiros: MÉDIA — você depende de corretores e imobiliárias para comprar e vender o apartamento. 

Conhecimento de mercado: ALTO — se você realmente quiser fazer um bom negócio, você precisa ser estratégico, conhecer bem a região, ver o histórico de valorização do bairro, entender a infraestrutura em volta, comércio, hospitais, escolas. Também é importante conhecer a concorrência e analisar a oferta e a procura. 

Risco: BAIXO — comprou, o imóvel é seu. Mas lembre-se, pode ter muita oferta no mesmo empreendimento e pode levar um tempo a mais para realizar a venda.


4 — Comprar um terreno e construir/incorporar

Rentabilidade: ALTA — isso porque nesse tipo de investimento você terá o valor do terreno valorizado e também do imóvel!

Dependência de terceiros: ALTÍSSIMA — você precisará de muitos parceiros, prestadores de serviço para construção, regularização do terreno, documentações, etc.

Conhecimento de mercado: ALTÍSSIMO — você precisa entender onde está adquirindo o seu terreno, além disso, precisa saber qual a demanda de imóveis da região. É uma região de prédios? De casas? De empresas? Tudo isso precisa ser analisado. É importante analisar as melhores demandas do bairro.

Risco: BAIXO — Comprou é seu, terreno também é um baita patrimônio.


5 — Comprar um terreno e lotear

Rentabilidade: ALTA — quanto mais lotes você tiver, maior pode ser o seu lucro. Atualmente as pessoas estão buscando lotes em condomínios fechados e isso pode valorizar ainda mais seu negócio.

Dependência de Terceiros: ALTÍSSIMA — você precisará de um corretor para buscar um terreno, todo processo de regularização, os prestadores de serviço para lotear, se for preciso terraplanagens e também precisará de interessados em adquirir o lote. 

Conhecimento de mercado: ALTÍSSIMA — você precisa saber sobre a região onde está o terreno, sobre o solo do lugar, condições climáticas que podem prejudicar ou favorecer o loteamento, etc. Vai precisar estudos preliminares, projeto urbanístico, obtenção de aprovações municipais, execução de infraestrutura, registro do loteamento e comercialização dos lotes

Risco: BAIXO — O terreno é patrimônio e você o terá independentemente das vendas dos lotes.


6 — Comprar imóveis antigos, reformar e revender

Rentabilidade: MÉDIA — nem sempre o lucro final cobrirá todos os gastos necessários para colocar o imóvel em condições de uso, afinal, os orçamentos podem variar e afetar o seu investimento.

Dependência de Terceiros: ALTA — você dependerá de mão de obra especializada em reforma de imóveis antigos, além disso, essa mão de obra possui um valor bem alto diferente do habitual.

Conhecimento de mercado: MÉDIO — você precisa saber os detalhes sobre o ano de construção do imóvel, qual o valor imaterial dele, sua história e história dos moradores anteriores, entender sobre as documentações, etc.

Risco: BAIXO — o imóvel continua sendo seu mesmo que não haja venda imediata e reformas.


7 — Comprar cotas de empreendimento

Rentabilidade: ALTA — as cotas possuem rentabilidade que podem chegar até a 24% ao ano se você entra no custo do empreendimento junto a incorporadora.

Dependência de Terceiros: BAIXA — você dependerá apenas do seu especialista/corretor para fechar o negócio e não há pagamento de taxas sobre esse serviço.

Conhecimento de mercado: MÉDIO — você precisa saber pelo menos sobre o valor do m² da região e o valor do m2 que a construtora está disponibilizando. O lucro tem que ser na compra. 

Risco: BAIXO — você terá respaldo da Sociedade em Contas de Participação, através da lei 10406/2002 e se você adquire uma cota quando o projeto já está aprovado, com obras em andamento, você tem ainda mais segurança para investir. O terreno é a maior garantia da operação. 


8 — Comprar Fundos imobiliários

Rentabilidade: BAIXA — esses fundos já tiveram uma boa rentabilidade, mas sofrem grandes variações com problemas na economia. Imóveis comerciais foram diretamente afetados.

Dependência de Terceiros: BAIXO — fácil aquisição, você só precisa de uma conta em uma corretora e pode adquirir os seus fundos sem ajuda.

Conhecimento de mercado: MÉDIO — é importante acompanhar a tendência da economia e saber quais são os fundos com maiores rentabilidades.

Risco: BAIXO — mesmo com flutuações e variações, os FIIs possuem o imóvel como garantidores para o negócio.


Agora que você conhece os principais investimentos disponíveis no mercado imobiliário, é hora de decidir em qual modelo investir. Alguns possuem uma rentabilidade maior, outros exigem menos tempo - você apenas investe e recebe os lucros, sem precisar aprender de fato sobre o mercado.


Chegou a hora de fazer o seu dinheiro trabalhar pra você!


A Neoin te ajuda na diversificação da sua carteira

Se você quer viver de venda passiva de verdade e fazer o seu dinheiro trabalhar por você, nós temos o produto perfeito!


Aqui, na Neoin, você pode se tornar sócio investidor de uma grande construtora e investir em Cotas de Empreendimento Imobiliário. 


Esse modelo de investimento vem ganhando força nos últimos anos e é uma excelente opção para quem busca segurança e rentabilidade na hora de investir. Estamos falando aqui de investir em um ativo que possui endereço físico, de terra e tijolo; não há segurança maior do que essa para um investimento. 


Ao investir com a Neoin você não arca com custos operacionais, não cobramos nenhum tipo de taxa. Você investe e recebe os seus lucros, simples assim. 


O nosso produto também é isento de Imposto de Renda, ou seja, você tem 100% do seu lucro. 


Você também conta com consultores de investimentos qualificados que irão te ajudar a criar uma carteira de investimentos sólida e diversificada, sempre respeitando as suas necessidades e o seu perfil de investidor. 


Conclusão

Ao construir uma carteira com vários investimentos diferentes, você tem menos riscos. A diversificação é o segredo dos grandes investidores, diversificar mitiga a sua chance de erros e é o primeiro passo para o sucesso nos investimentos. 


O economista americano Harry Markowitz, conhecido como ‘’pai’’da teoria dos portfólios, diz que: "O risco de uma carteira é menor do que a soma dos riscos individuais de cada ativo". 


Ou seja, cada produto tem o seu risco, vamos deixar claro que não existe investimento sem riscos, mas se você olha para a sua carteira com ativos diferentes, o risco é menor justamente por essa diversificação.


A diversificação é a melhor estratégia para quem deseja reduzir os riscos do mercado, ampliar o seu potencial de rentabilidade e experimentar novas formas de investir.


Já que está aqui, leia também:



Gostou do conteúdo? Então, compartilhe com um amigo!


Não esqueça de acompanhar as nossas redes sociais:


Commentaires


bottom of page